Os comerciais para rádio são parte essencial do dia a dia de uma rádio, seja ela online ou não. Isso porque eles são uma das principais maneiras de monetizar o trabalho realizado ali.

Ao vender o espaço publicitário para empresas, as rádios comerciais ganham o dinheiro necessário para continuar funcionando e pagar os salários dos seus colaboradores, além de outras despesas. E para conseguir um fluxo constante de comerciais não basta apenas vender o espaço publicitário: é necessário criar excelentes spots que converterão em negócios para os clientes.

Mas como fazer isso? Quais os segredos para criar comerciais para rádio?  É o que descobriremos a seguir!

Entenda a importância dos comerciais para rádio+

No Brasil, os comerciais para rádio são a principal fonte de renda para as emissoras de áudio se sustentarem. E essas peças publicitárias são vendidas regionalmente.

Segundo uma pesquisa feita pelo Grupo de Mídia de São Paulo, cerca de 81,17% de todas as rádios do Brasil dependem exclusivamente de verbas locais para continuar funcionando, com 62% delas nunca fazendo parte de uma campanha nacional.

Isso significa que, além de precisar suar a camisa para vender anúncios, as rádios também precisam ajudar no desenvolvimento das peças publicitárias, já que as empresas locais não têm departamentos de Marketing ou verba para contratar agências para criar as peças.

Por enquanto, o volume do bolo publicitário que fica para as rádios é pouco: apenas 4% de todo o valor investido em publicidade no Brasil. Mas há espaço para crescer: nos EUA, por exemplo, a mídia fica com 10,6% de todo dinheiro investido em propaganda.

Ou seja: com trabalho duro, dedicação e a capacidade de reverter os reais investidos em resultado, há espaço para os comerciais para rádios se tornarem mais e mais comuns. Para isso, é preciso saber como desenvolver um bom spot, como se comunicar com o ouvinte e converter a audiência em consumidores para os anunciantes.

Saiba como elaborar um comercial seguindo esses 10 passos

Criar bons comerciais para rádio não é uma tarefa fácil, mas é algo que você pode fazer, especialmente se já tiver algum talento para se comunicar com o público.

A melhor maneira de criar comerciais que sejam eficazes em converter o seu público em consumidores para os anunciantes é com um sistema testado e comprovado. Isso é possível seguindo alguns passos.

Dentre eles, podemos citar:

1) Entender o público

Você já parou para pensar qual é o objetivo dos comerciais para rádio? Reflita um pouco sobre o assunto.

Com certeza, você chegará à conclusão de que um comercial tem por objetivo persuadir o público a comprar algum produto, serviço ou realizar alguma ação em específico. Nós falaremos mais sobre isso no passo número 8 (então leia o artigo até o final!).

Todavia, o ponto que temos de ter em mente antes de começar a trabalhar em um comercial é que ele deve persuadir o público a fazer algo. Isso é importante pois nem todas as pessoas pensam de maneira igual ou são convencidas pelos mesmos motivos. Portanto, você deve entender o público que será o alvo daquele comercial.

Vamos dar um exemplo rápido aqui. Imagine que você foi procurado por uma loja de colchões da região para fazer um comercial na sua rádio. Como faria?

O primeiro passo é entender que existem diferentes tipos de pessoas que querem ou se interessam em comprar um colchão.

Por exemplo, temos casais que estão prontos para morar sozinhos e buscam o primeiro colchão para a casa nova. Ao mesmo tempo, temos pessoas que já usam o mesmo colchão há anos e precisam de um novo. São dois públicos diferentes, cada um com dores, necessidades e linguagens diferentes. Por isso, comece a conceitualizar o seu comercial para rádio pensando em quem vai ouvi-lo.

Isso dará uma base muito boa para começar a trabalhar no roteiro e na produção do comercial,

2) Conhecer o produto divulgado

O segredo para criar comerciais para rádio que funcionam é saber como conectar o produto ou serviço divulgado com o público ideal.

No passo anterior, a gente entendeu a importância de conhecer bem o público para saber suas dores específicas e como usá-las a nosso favor. Agora, é hora de conhecer profundamente o produto que você divulgará na sua rádio. Assim, você saberá como ele se adapta aos problemas específicos do público que você quer atingir.

Voltemos ao exemplo da loja de colchões: imagine que você deve se comunicar com um público entre os 35 e 45 anos e que sente dificuldade para descansar depois do trabalho.

Portanto, você precisará saber como um colchão pode ajudar nisso. Por exemplo, colchões de molas ensacadas suportam pesos diferentes (uma pessoa não sente o movimento da outra) e são mais macias. Assim, podem ajudar a descansar melhor e você pode citar essa informação no comercial.

Isso só é possível se você conhecer o produto que divulgará nos seus comerciais para rádio.

3) Acertar na linguagem

A função dos comerciais para rádios é fazer a ponte entre o público e o produto anunciado. Uma das maneiras de ligar estes dois pontos é pela linguagem correta. Como locutor de rádio, você com certeza da importância de usar a linguagem correta no seu trabalho. Certos públicos permitem gírias e tom informal, enquanto outros não.

Se você deseja captar a atenção do ouvinte, passar uma mensagem e atingi-lo de maneira impactante, precisa usar a linguagem certa.

4) Fazer chamadas criativas

Com o advento da Internet, o mundo passou por mudanças e não é mais o mesmo. Mas se tem uma coisa que permanece igual é que ninguém aguenta mais chavões como “advento da Internet”, “mundo passou por mudanças” e tantos outros.

É importante que você seja criativo e tente abordar o assunto do comercial de uma maneira diferente da usada normalmente pela mídia e cultura atual.

Além de se diferenciar de outros comerciais para rádios, essa abordagem inovadora ajuda a captar a atenção dos ouvintes. Quantas vezes você simplesmente não parou de prestar atenção ao rádio durante os intervalos comerciais?

Todos fazemos isso porque os comerciais tendem a ser iguais. Por isso, quando surge um que é diferente, nossa atenção é capturada e absorvemos melhor a mensagem que é transmitida.

5) Não exagerar nos efeitos sonoros

Comerciais para rádio pedem uma produção um pouco mais caprichada do que um programa ou conteúdo comum. Isso acontece porque os comerciais são curtos e tem uma janela menor para causar impacto no ouvinte.

Por isso, cada segundo vale ouro na hora de transmitir a sua mensagem comercial para o público ouvinte da rádio. Isso não significa, contudo, que um comercial com muitos efeitos é melhor do que um sem efeito nenhum. E vice-versa!

O segredo de comerciais para rádio eficazes é o balanço perfeito na pós-produção entre os efeitos e a locução. O objetivo é privilegiar a mensagem transmitida ao ouvinte.

6) Escolha a locução correta

Comerciais para rádio têm menos ferramentas para transmitir uma mensagem do que publicidade audiovisual. Por isso, precisam explorar ao máximo cada camada de som usada no material. Isso inclui a voz da locução.

Afinal, você deve optar por um locutor homem ou mulher para o comercial de determinada empresa? É melhor a voz de uma mulher jovem ou mais idosa? De um homem de voz fina ou grossa?

São muitas variáveis a se considerar e você deve usar dados e pesquisas, além de fazer muitos testes, para chegar ao resultado perfeito. Por exemplo, uma pesquisa da Harris Interactive mostrou que 48% do público considera a voz masculina mais energética que a feminina. Por outro lado, 46% acham que a voz feminina é mais relaxante.

Além da voz, a locução também é influenciada pela interpretação do profissional, que fica mais acentuada no rádio. Este também é um elemento importante a considerar quando criar um comercial.

7) Escolha se usará ou não uma vinheta

Uma vinheta é um som que funciona como uma “assinatura sonora” para uma empresa, marca ou peça de áudio. Um dos exemplos mais famosos é o “para pa pa pa” do McDonald’s ou o “plim plim” da Rede Globo de Televisão. A vinheta tem por objetivo contribuir para o sound branding da empresa, ajudando a vincular o comercial a marca que o veicula.

O uso da vinheta em comerciais para rádio é necessário quando a empresa que vender o produto em questão já tiver uma estratégia de sound branding completa. Se não tiver, não faz muito sentido criar uma apenas para um comercial.

8) Acerte no chamado para ação

Como dissemos lá atrás, o objetivo de comerciais para rádios é persuadir o ouvinte a realizar alguma ação. Pode ser comprar um produto, contratar um serviço, assinar alguma coisa, comparecer a um evento… enfim, fazer algo.

Para isso, é necessário inserir um chamado para ação (CTA) no final do comercial. Essa inserção é um comando para que o ouvinte realize a ação desejada pelo material.

Se o comercial for para divulgar um novo restaurante na cidade, insira um “Venha nos conhecer na Rua das Flores, número X” ou “Visite-nos e saboreie nossos pratos na Rua das Flores, número X”.Sem o CTA no final do comercial, as chances do seu público realizar alguma ação são muito baixas e a publicidade perde sua utilidade.

9) Se prepare para a gravação do comercial

Até o momento, quase todas as dicas foram dadas para a fase de conceitualização do comercial. Todavia, um dos momentos mais importantes é a gravação do conteúdo publicitário.

Para garantir que tudo saia da maneira correta no grande dia, é preciso se preparar com antecedência. E isso começa pela checagem de todos os equipamentos necessários para a gravação: microfone condensador, cabos funcionando corretamente, computador, mesa de som e fone de ouvido.

A seguir, dê uma última vistoria no texto do comercial para garantir que está tudo em ordem e faça o aquecimento necessário para começar a gravar (se outra pessoa fizer a locução, ajude-a nos exercícios de aquecimento vocal).

Por fim, não esqueça de providenciar os acessórios e truques necessários para uma boa gravação. Por exemplo, um copo de água ajuda a hidratar a boca e evitar estalos no áudio.

10) Revise, revise e revise

Existem uma ação que deve ser repetida várias vezes durante todo o processo de criação de comerciais para rádios: a revisão. É ela que ajudará a identificar problemas, informações erradas e gafes que podem acabar com o projeto.

A revisão deve ser feita em vários estágios distintos do projeto: no primeiro rascunho do texto e na sua versão final, antes das gravações, depois das gravações, durante a pós-produção e antes de ir para o ar.

Além disso, a revisão deve ser feita por pessoas diferentes em cada estágio. Isso é importante pois cada pessoa dá mais atenção a aspectos específicos e pode captar erros que outros não percebem.

Um dos motivos de revisar o texto em vários estágios é perceber como ele muda com o tempo e quais possibilidades de problemas surgem em cada momento. Imagine um comercial para uma empresa de seguros que seja mais ou menos assim:

“Há 5 dias um cara bateu no meu carro, mas eu não fiquei nervoso, já que tinha contratado o Seguro-Automóvel da Empresa X. Com esse pacote, eles resolveram o problema e eu não precisei me preocupar”.

À primeira vista, não há nada de errado com o texto para esse comercial para rádio. Uma revisão normal provavelmente não pegaria nenhum problema também. O problema é que há um caso típico de cacofonia no comercial: as palavras “já que tinha”, cujo som forma “jaquetinha”.

Se ninguém revisasse o material até a gravação, é provável que isso só fosse percebido quando o locutor falasse as três palavras. Ou pior: ninguém notaria e o comercial iria ao ar com esse erro.

Por isso é importante que diferentes pessoas possam revisar o material a cada estágio de produção, para garantir que um problema ou informação errada sejam detectados a tempo de fazer uma correção.

Fique por dentro da diferença existente entre spot e comercial

Se você já trabalhou com comerciais para rádio ou estudou um pouco de publicidade, deve ter ouvido o termo “spot” ou “spot comercial”. Provavelmente, ouviu o termo sendo usado como sinônimo para “comercial”.

Todavia, essa é uma visão errada dos termos. Spots e comerciais não são necessariamente a mesma coisa, embora tenham muitas semelhanças. Vamos conhecer a diferença entre os dois?

Um spot está para um comercial da mesma maneira que um jogador de futebol está para um atleta. Ou seja: um spot pode ser um comercial, mas nem todo comercial é um spot.

Ficou confuso? Tudo bem, a gente explica de outra maneira.

Em poucas palavras, um spot é um dos tipos de comerciais para rádio que existem. Mais precisamente, é uma mensagem publicitária falada no rádio.

Todo comercial em que há um locutor dizendo algum texto ou passando informações ao ouvinte é um spot.

Com isso explicado, vale ressaltar que existem outros tipos de comerciais que não são spots, como os jingles. Nesse caso, a mensagem publicitária é cantada. Um exemplo comum são os jingles políticos na época de eleições.

A diferença entre um spot e um comercial é bem simples, como deu para perceber. Saber a distinção entre os termos é importante para a sua rádio criar os conteúdos corretos e se comunicar melhor com os seus clientes.

Conheça 3 spots e comerciais para rádio que marcaram

Agora que você já sabe a diferença entre spots e comerciais para rádio e já sabe como criar uma mensagem publicitária impecável para transmitir, você já está pronto para começar a monetizar a sua estação.

Antes de ir embora, porém, nós separamos alguns exemplos de spots e comerciais para rádio famosos para que você possa se inspirar e colocar em prática o que aprendeu neste guia.

Vamos listar alguns dos comerciais abaixo, ver como eles foram feitos e como colocar em prática esses conhecimentos. Siga a leitura!

1) Park, da Nestlé Purina

Um comercial para rádio que fez muito sucesso há alguns anos foi o Park, feita para promover a linha de alimentos para cães e gatos da Nestlé. O spot foi tão bem-sucedido que inclusive ganhou um Leão de Rádio no Cannes Lions em 2012.

Logo de cara, o comercial coloca em prática todas as dicas que nós demos neste artigo, começando pela criatividade. O spot simula a conversa entre um humano e seu cachorro de estimação que vão passear em um parque, tratando a situação com muito bom humor.

Além disso, o comercial toca diretamente no público-alvo ao se relacionar com ele, tanto pela linguagem (mais informal), quanto por dividir uma experiência em comum com todos os donos de cachorro.

Ou seja: ao conhecer o público e o produto, os criadores deste spot descobriram como a ração da Nestlé soluciona uma das dores da persona e souberam como comunicar isso.

Para completar, perceba como a edição de efeitos sonoros é suave, feita apenas para sugerir a presença de um cachorro e criar uma atmosfera leve e agradável. Note também a presença do chamado para ação no fim com o “Retribua com Purina”, incentivando o ouvinte a comprar a ração.

2) Vem Pra Rua, Fiat

O Vem Pra Rua, comercial lançado pela Fiat em 2013, criou uma certa polêmica por ser usado durante os protestos políticos realizados em junho daquele ano. O objetivo inicial da peça publicitária, porém, era outro.

Lançado em maio (um mês antes dos protestos), a ideia do comercial era colaborar com o projeto de sound branding da Fiat, que patrocinava a seleção brasileira de futebol e a Copa das Confederações (realizada no país naquele ano).

A peça publicitária não configura como um spot (já que não tem uma mensagem falada, mas sim cantada) e conta com um clima enérgico, vivo e bem-disposto. A própria batida mais animada direciona o conteúdo do comercial ao público mais jovem (justamente quem teria o interesse em comprar um dos veículos de entrada da Fiat como seu primeiro carro).

3) Carro Locutor, da Ford

Um spot publicitário que também causou certo barulho nos últimos anos foi o do novo Ford Focus. Intitulado Carro Locutor, o comercial tinha uma ideia criativa: fazer com que o próprio veículo narrasse a peça publicitária.

Para isso, o comercial usou um recurso tecnológico do carro, que lia em voz alta os SMS recebidos pelo motorista. Eles enviaram várias mensagens para o número cadastrado no carro e gravaram a voz robótica falando o texto do anúncio.

O resultado foi tão positivo porque, em primeiro lugar, foi muito criativo. Quando aparecia na grade de programação das rádios, o spot chamava atenção porque quebrava o ritmo que vinha antes dele.

Depois disso, o comercial foi eficaz ao entender uma das dores do seu público, que era estar sempre conectado e em constante comunicação mesmo enquanto dirigia, mas sem quebrar as leis de trânsito.

Ao fazer com que a locução fosse feita pela voz do robô que lê as SMS, o comercial não fica só criativo, mas também funcional: apresenta o recurso que resolve o problema do público-alvo.

Um último detalhe interessante sobre esse anúncio está no vídeo linkado acima. O material mostra os bastidores da gravação do spot e, em certo momento, exibe os responsáveis pela peça precisando ajustar o texto para encaixar na pronúncia do robô.

Essa cena mostra a importância de sempre revisar o texto do seu comercial, para prevenir problemas na versão final da peça.

Como deu para ver, criar bons comerciais para rádio não é mesmo uma tarefa fácil, mas é algo possível de fazer. O mais importante é entender muito bem o seu público, suas necessidades e como comunicar para os ouvintes que aquele produto ajudará a resolver esses problemas.

Se você conseguir dominar essa habilidade, começará a entregar ótimos resultados para os anunciantes que investirem na sua rádio e, antes que possa notar, terá um fluxo constante de renda na sua emissora.

Para isso, é importante ter um bom site para a sua rádio e uma plataforma de streaming que permita montar a programação em playlists, além de um Auto DJ que possa tocar a rádio enquanto você negocia os espaços publicitários com clientes.

A Bycast pode ajudar nisso! Se você quer vender mais comerciais para rádio e aumentar a lucratividade da sua emissora, entre em contato com a gente e saiba como nossa ferramenta será útil!

Powered by Rock Convert
Bycast
Autor

Escreva um comentário