Os meios de comunicação modernos oferecem uma grande variedade de opções de veiculação. Rádio, televisão, internet e outras plataformas possibilitam que diversos tipos de público acessem conteúdos de acordo com suas preferências. Dentro desse contexto, destaca-se o radiojornalismo.

Entre as principais vantagens que uma transmissão radiofônica apresenta está a flexibilidade. A prática jornalística, então, encontra aí uma oportunidade de usar toda a grade de programação para informar o ouvinte. Aqui no Brasil, o chamado modelo ”all news” chegou com a CBN, ainda na década de 90, e tem sucesso até hoje.

É pela relevância do radiojornalismo que criamos este texto. Continue conosco e fique por dentro das peculiaridades responsáveis por diferenciar esse estilo de comunicação dos demais. Boa leitura!

1. Foco nas notícias locais

Começamos abordando o impacto do fator regional em uma rádio jornalística. Vale destacar que o critério varia de acordo com o tamanho da emissora. Afinal de contas, uma marca conhecida nacionalmente não pode prender-se a reportar informações apenas da cidade-sede.

Sendo assim, as maiores emissoras all news do Brasil noticiam acontecimentos impactantes no país inteiro, enquanto as de caráter menor (estadual ou municipal) focam em um maior aprofundamento de fatos do estado ou da cidade.

2. Produção comandada por profissionais

Não basta ser comunicativo e extrovertido diante de um microfone. Para trabalhar com radiojornalismo, é necessário ter formação profissional na área. Essa exigência eleva o padrão e qualifica todo o processo de produção do conteúdo veiculado, desde o contato com as fontes até a locução, passando pela apuração da veracidade do material.

Credibilidade é uma palavra-chave no universo jornalístico. Portanto, deve-se tomar o máximo cuidado para seguir os padrões éticos da profissão e não cometer deslizes capazes de manchar a reputação da rádio.

3. Texto e locução apropriados

Dando sequência ao tópico anterior, é importante lembrar-se de que o texto e a locução são somente a ponta do iceberg de um trabalho radiofônico, mas atuam como único contato entre a emissora e o público. Sendo assim, precisam estar alinhados no que diz respeito à qualidade.

A linguagem do rádio exige objetividade e clareza. Quem monta o texto deve buscar a compreensão do ouvinte sem complicações, fazendo-o captar a mensagem por meio do uso dos termos mais apropriados para tal. O locutor, por sua vez, tem o papel de assegurar a transmissão do conteúdo com firmeza e a entonação correta.

4. Agilidade e precisão na informação

Em um rádio all news, os repórteres costumam ficar de plantão para não perder nenhum acontecimento relevante. Nesse sentido, o faro profissional deve estar em dia com o objetivo de garantir uma apuração fidedigna e mais ágil possível.

Coletar os dados básicos sobre determinado fato e, em seguida, entrar em contato com as melhores fontes são elementos primordiais de construção de materiais radiofônicos. A precisão na informação é muito relevante para a manutenção da credibilidade da emissora.

Percebeu como o radiojornalismo é diferente e maravilhoso? A construção de cada conteúdo que vai ao ar exige uma série de fatores únicos, o que ajudou a tornar tão marcantes alguns nomes na história do rádio brasileiro. O mais recente deles foi o do grande Ricardo Boechat, vítima de um acidente de helicóptero em fevereiro de 2019.

Finalizamos por aqui. Quer acessar outros posts como este e, de quebra, conhecer os serviços da Bycast? Curta nossa página no Facebook!

Powered by Rock Convert
Bycast
Autor

Escreva um comentário