As frequentes novidades envolvendo tecnologias têm impactado diretamente a vida das pessoas. Diferentes ferramentas são desenvolvidas no sentido de facilitar processos e oferecer opções para todos os gostos. No mercado da musica, essa lógica também se sustenta.

O último Global Musical Report, respeitado relatório sobre dados e estatísticas no âmbito fonográfico mundial, informou que as receitas geradas nesse modelo de negócios cresceram 8% de 2016 para 2017. Dessa forma, o faturamento do setor, do ponto de vista global, atingiu mais de 17 bilhões de dólares. Cifras consideráveis, não é verdade?

Pensando sob a ótica de uma web rádio, por exemplo, trata-se de um indicativo certeiro a respeito das transformações do mercado da música. Portanto, é fundamental acompanhar mudanças de estilo, de produção e de outros aspectos do ramo, para se dar bem sem ficar para trás. Continue a leitura e confira as principais tendências!

1. O poder do streaming

De modo objetivo, pode-se definir streaming como uma tecnologia capaz de enviar informações, em diversas mídias, por meio da transferência de dados via internet. Uma transmissão, em tempo real, pelo YouTube ou Facebook figura como ótima demonstração da consistência desse termo.

Pois o streaming, hoje em dia, já representa cerca de 75% da renda integral de empresas do mercado da música. É fato que cada vez mais pessoas usam a internet para informação e entretenimento, o que torna o investimento no streaming algo bastante promissor.

2. O sucesso do Spotify

Em julho de 2017, o Spotify divulgou que chegou a 83 milhões de assinantes simultâneos. Ainda segundo a empresa, 180 milhões de usuários, em algum momento, utilizam a ferramenta.

Encontrar qualquer música com alta qualidade de som e poder ouvi-la quantas vezes e onde quiser é um grande atrativo. A possibilidade de criar playlists personalizadas, escolhendo os artistas preferidos para escutar a qualquer momento, não para de garantir maiores receitas ao Spotify. Falamos de uma tendência que se instalou com autoridade.

3. As mudanças do YouTube

Se o termo streaming e o aplicativo Spotify podem ser considerados novos no mercado da música e da tecnologia, o YouTube não. Presença antiga entre os sites mais acessados do planeta, a plataforma de vídeos se reinventa para permanecer em dia com relação às tendências.

Vale ficar de olho, por exemplo, na ferramenta lançada com o objetivo de proteger os direitos autorais dos criadores de conteúdo. O Copyright Match é um recurso que fiscaliza os materiais procurando vídeos que possam ter cópias de originalidades.

No instante do armazenamento de determinado conteúdo, há uma busca automática por outros parecidos, informando supostos plágios. O usuário tem duas alternativas a partir de então: contatar por conta própria o dono do canal em questão ou solicitar ao YouTube a remoção do vídeo. Olho aberto!

Além das plataformas citadas, Deezer e SoundCloud figuram como outros nomes que merecem atenção, visto que têm boa relevância no cenário de produções de áudio. Atualmente, o mercado da musica disponibiliza inúmeras opções de exploração e ainda é uma via de mão dupla: bom para quem produz e para quem consome.

E aí, gostou do post? Foi útil para você? Se tem dúvidas ou opiniões a respeito do assunto, escreva na nossa caixa de comentários!

Powered by Rock Convert
Bycast
Autor